Profissionalismo na saída é fundamental

07 de junho de 2010.

Por Taís Targa

Pode-se dizer que estamos em um momento histórico no qual vínculos são rompidos de forma instantânea, principalmente, quando se trata do vínculo empregatício. Mudar de empresa (seja por vontade própria ou não) é hoje visto como algo absolutamente normal e até certo ponto denota flexibilidade e capacidade de encarar novos desafios. No entanto, alguns profissionais mostram-se pouco preparados para situações de rompimento e acabam trocando os “pés pelas mãos” neste momento tão delicado de suas vidas profissionais. Desligar-se da empresa com classe e elegância é básico nos dias de hoje e alguns descuidos e descasos nesta ocasião podem denegrir a imagem que se levou muito tempo para ser construída. Para tornar o momento menos difícil, seguem algumas dicas (bem básicas) para quem por algum motivo está se desligando de qualquer organização:

Enviar um e-mail de preferência com um tom de agradecimento aos colegas de trabalho. Se tiver tempo, pode ser um e-mail para os pares, outro para os subordinados e um especial para o superior. Neste e-mail é de bom tom deixar disponível e-mail particular e telefone móvel. É uma boa forma de manter o contato e quem sabe ser lembrado para uma indicação.
Nunca entrar em detalhes sobre o motivo da demissão e muito menos “desabafar”. Não é hora também de enviar Currículo e pedir indicação de emprego. Deixe isto para outra oportunidade e se for mandar o Currículo o faça com e-mail individual, ou seja, apenas com um destinatário.
Se puder desocupe a sua sala e leve os pertences mais significativos. Peça para um colega encaixotar o resto e busque ou mande alguém buscar em outro momento. O ritual de arrumar as malas em fim de relação é desgastante para todos e pode eliciar respostas emocionais desagradáveis.
Não é hora também de salvar todos os arquivos eletrônicos, existem inclusive muitas empresas que bloqueiam o acesso dos demitidos no momento subseqüente à demissão. Portanto, mantenha sempre um back up eletrônico das informações mais importantes, pois nunca se sabe o dia de amanhã.

 

Fonte: Site da Rádio 91 Rock

Você pode se interessar por

Um comentário

  • Eduardo Estevão 22 de janeiro de 2016   Resposta →

    Discordo um pouco da explanação, em razão do que passei (experiência própria):
    – Fui dispensado exclusivamente por antipatia pessoal do Presidente da Empresa para comigo, uma vez que sou um Profissional competente e não me sujeito ao puxa-saquismo de jeito nenhum. Esse Presidente, era um homem despreparado profissionalmente, nível de escolaridade baixo, arrogante e extremamente prepotente, mas que era afilhado do dono da Empresa, assim para se sentir Poderoso precisava que os a sua volta, nunca tivessem objeção as suas colocações, que rissem mesmo sem vontade de suas piadas sem graça, que ficassem bêbados com ele, assim ele fazia os outros como espelho dele, que o seguissem a bordéis e etc… Nunca me sujeitei a tais coisas, mas sempre fui cortês, bom ouvinte e principalmente dava excelentes resultados para a empresa com crescimento e lucratividade muito acima das metas e objetivos traçados. Um dia na véspera de meu aniversário de 55 anos, recebi a ligação de meu Gerente Nacional, me comunicando o desligamento. Cobrei do mesmo por qual motivo (???): redução de custos, idade, algum erro cometido e etc…, recebi como resposta, que não era ele quem estava me desligando, mas a ordem havia vindo direto do Presidente. Me disse ele que contestou a decisão tomada e apresentando as planilhas com os resultados obtidos no tempo que estive na empresa, mas o Senhor Presidente lhe disse que não aceitava discussão, questionado pelo meu Sênior, qual desculpa seria dado para o desligamento, a resposta recebida foi: NENHUMA DESCULPA a ser dada. Confirmado pra mim pela Chefe do RH, que me disse não saber o porque de meu desligamento, não tinha uma razão do mesmo a me passar. Pra terminar, no mês seguinte ao meu desligamento o meu Gerente Nacional foi demitido depois de quase 20 anos de casa, também sem nenhuma explicação direta de por qual razão. Soube alguns dias depois, que havia sido desligado por ter sido contrário a minha demissão.
    Como sair, mantendo a compostura e falando bem de uma administração assim??? A Empresa em si nada a reclamar, era ótima pra se trabalhar, mas o “cabeça” era simplesmente um Horror de pessoa e de profissional.
    Abraços.

Deixe um comentário